DEBORA
KOYAMA

New York / Zurich

 
 

"Marqueteiros". Debora usa essa palavra sem pudor para se referir aos publicitários, comunicadores e designers que compõe a equipe de 500 pessoas que ela comanda como CMO da Mondelez na Europa.

Essa, que é a maior região da companhia, está implementando uma poderosa agenda de transformação e aceleração digital através das mãos de Debora, nossa alada. "O que é o marketing no século 21? Como acelerar o crescimento digital? Quem é esse consumidor com quem estamos falando?", compartilha algumas das perguntas que estão sob seu olhar. Esta, é a sua função primordial e seu job description, mas a sua agenda pessoal é bem maior:

"Eu tenho chegado para a minha equipe direto e falado: qual é o teu sonho? O que você quer realizar dentro da companhia? O que me deixa feliz é ver o brilho nos olhos da pessoa que está lá e que eu posso ajudar a voar."

Nipo-brasileira, nova-iorquina de coração, baseada na cidade de Zurich, vem desenvolvendo há quase 20 anos, estratégias de marca para players como AB InBev, Diageo, Kraft e L’Oreal, através de uma filosofia de liderança chamada servant leadership, ou "liderança a serviço das pessoas".

A liderança tradicional geralmente envolve o exercício do poder por uma figura no “topo da pirâmide”. Em comparação, o líder-servidor compartilha o seu poder, coloca as necessidades dos outros em primeiro lugar e ajuda as pessoas a se desenvolver em todo o seu potencial. "É o time que tem que estar no spotlight", ela diz.

É claro que, como resultado desta posição, esperam-se KPIs de campanha e business que façam sentido para o negócio (e Debora coleciona muitos acertos na bagagem), mas para ela as companhias devem começar a entender algo primordial: elas estão mais a serviço do sonho das pessoas do que vice-versa.

Marcas são agentes de transformação e, como tal, precisam agir com responsabilidade. Um ótimo exemplo do uso deste poder foi uma campanha que Debora orquestrou para Stella Artois com a fundação Water.org, a ONG do ator Matt Damon. Ela e sua equipe tiveram o privilégio de falar sobre como a falta de água compromete e desacelera o desenvolvimento humano e econômico no mundo.

Em pleno Super Bowl.

Em nome de uma marca.

Mais de uma vez, ela repete com convicção: "este é um dos melhores momentos para ser marqueteiro no mundo." Um de seus argumentos é o de que millenials serão 50% da força de trabalho global até 2020, portanto não há mais opção:

“As pessoas estão prontas para marcas terem propósitos.”

_________________________________________________________________________________

"Marketers". Debora uses that word shamelessly to refer to the advertisers, communicators and designers who make up the 500-person team she runs as Mondellez's CMO in Europe.

The largest region of the company - that makes $ 10 billion a year - is implementing a powerful agenda of digital transformation and acceleration through the hands of Debora, our team member. "What is marketing in the 21st century? How to accelerate digital growth? Who is the consumer we are talking to?", are some of the questions that are under her sight. This is her primary function and her job description, but her personal agenda is much larger then that:

"I constantly say to my team: 'What is your dream? What do you want to accomplish within the company?'. What makes me happy is seeing the sparkle in the eyes of the person that I know I can help to fly”.

Deborah believes in a leadership philosophy called "Servant Leadership". Traditional leadership usually involves the exercise of power by a person at the "top of the pyramid." In comparison, the leader-server shares his/her power, puts the needs of others in first place, and helps people develop to their full potential. "It's the team that has to be in the spotlight”, she says.

Of course, as a result of this position, campaign and business KPIs are expected so the business can make sense - and Debora brings some of that knowledge on the basket -, but, for her, companies must begin to understand something crucial: they are more at the service of the people's dreams than vice versa.

Brands are agents of transformation and, as so, need to act responsibly. A great example of using this power was a campaign that Debora orchestrated for Stella Artois with the Water.org foundation, the NGO of the actor Matt Damon. She and her team had the privilege of talking about how water shortages jeopardize and slow human and economic development in the world. Right in the middle of the Super Bowl. Representing a brand.

More than once, she says it with conviction: "This is one of the best times to be a marketer in the world”. One of her arguments is that millenials will be 50% of the global workforce by 2020, so there is no choice:

“People are ready for brands to have purposes”.